Terapia Breve Focal

 

Quero fazer terapia mas busco uma abordagem rápida, isso existe?

 

Tenho de resolver uma questão emocional, como posso ter alívio em um intervalo de tratamento breve?

 

Quero melhorar pontualmente um aspecto em minha vida, é possível?

 

Recentemente tive uma perda muito difícil, preciso retomar minha atividades mas não me sinto preparado, a terapia pode me ajudar?

 

 

Na atualidade, todos parecem ter pressa em resolver suas questões e conflitos, demandamos respostas rápidas e uma postura mais pro-ativa dos profissionais que nos atendem. Sendo assim é possível pensarmos em abordagens terapêuticas que acompanham o modo de ser de nosso tempo sem comprometimento da qualidade da psicoterapia.

           

Os primeiros teóricos da Psicologia e Psicanálise já se ocupavam em buscar intervenções clínicas mais rápidas para os diversos problemas que os pacientes traziam. Ferenczi e Rank (1924) já pensam em como diminuir o tempo dos tratamentos psicanalíticos, que costumavam durar vários anos a um custo elevado, desta forma buscaram então sintetizar uma forma de tratamento clínico possível e ao mesmo tempo eficiente com base nas técnicas psicanalíticas que eram as únicas que existiam em sua época. A esta modalidade terapêutica deram o nome de Psicoterapia Breve.

           

É necessário destacar que diminuir o tempo de duração do tratamento não significa diminuir sua qualidade, pois a Psicoterapia Breve repensou algumas técnicas da psicanálise freudiana, como a postura do terapeuta frente ao paciente e uma certa cristalização de técnicas que persistiram em muitas escolas. Este modelo tornou o terapeuta uma figura bem mais ativa dentro da relação com o paciente, que passa a pensar junto com este os objetivos a serem alcançados ao longo do processo e dessa forma, seria possível delimitar o tempo de duração da psicoterapia de acordo com a demanda.

           

A partir da abordagem psicodinâmica da Psicoterapia Breve, Franz Alexander, renomado médico e psicanalista, discípulo de Ferenczi, desenvolveu uma teoria chamada experiência emocional corretiva, onde defendia que somente relembrar e relatar uma experiência intensa não trazia a cura de uma neurose, e sim a oportunidade de redefiní-la em novo clima e ambiente. Partindo dessa premissa, a Gestalt-terapia modificou o termo “corretivo” para “atualizador”, pois a neurose não era mais considerada como um fracasso da experiência do sujeito, na maioria das vezes era uma forma de adaptação pessoal frente à situações estressantes ou conflitantes com o objetivo de manter a integridade psíquica do sujeito, quase como uma adaptação ao meio.

           

Seja num trabalho de base Psicanalítica, comportamental, ou de uma teoria fenomenológica, como é o caso da Gestalt-terapia, o fato é que a Psicoterapia Breve Focal se estrutura a partir de quatro aspectos essenciais:

 

a) a queixa trazida pelo cliente;

b) a eleição de foco para o trabalho;

c) a compreensão diagnóstica; e

d) a relação terapêutica.

 

Não existe uma Psicoterapia de Curta Duração que não leve esses quatro aspectos em consideração, no entanto, cada corrente teórica compreenderá e trabalhará cada um deles de maneira própria.

           

Dessa forma, o olhar do psicoterapeuta se torna focalizado para experiências vivenciais e narradas pela pessoa atendida associando-as ao foco eleito para o processo terapeutico em si. Com esta postura, o Psicólogo busca compreender e intervir em situações cotidianas que são trazidas para dentro do consultório, atualizando-as para que comportamentos mais adaptados e saudáveis possam surgir deste processo.

           

Sendo assim, o que percebemos é que a Psicoterapia Breve Focal, a qual podemos chamar de uma “nova” modalidade terapêutica, responde ao nosso atual modo de viver e experimentar o mundo, permitindo que mais pessoas tenham acesso a um tratamento psicoterápico de qualidade. Podemos também pensar nesta modalidade terpêutica para situações emergenciais como em viagens inesperadas, promoções, apresentações em público, grandes eventos e demais situacões onde haja uma certa urgência para o alívio de sintomas que estejam em desarmonia com as expectativas do paciente.

           

Gostaria de conhecer a modalidade de Terapia Breve. 

 

Quero fazer terapia mas teho uma certa urgência. 

  

Já fiz terapia antes e achei o terapeuta muito silencioso, preciso de uma intervenção mais ativa e rápida.

 

Gostaria de mais informações, clique aqui para enviar um e-mail ou WhatsApp.

 

Please reload

2016 por patrícia cividanes