Psicologia online, uma Realidade! Entenda.


Gostaria de experimentar os atendimentos online!

Alguns pacientes estão fora do país posso oferecer orientação à distância?


Em minha cidade, não disponho de profissionais de psicologia para expor minhas dificuldades, como encontrar atendimentos de qualidade?


Em momentos de crise, a terapia online pode ser uma ótima opção para dar continuidade aos atendimentos, saiba mais...




Já faz algum tempo que o Conselho Federal de Psicologia (CFP) aprovou a realização dos serviços psicológicos por meio eletrônico, mas especificamente, por meio de vídeo conferência e em casos particulares por mensagens, utilizando para isso programas testados e aprovados quanto a sua segurança e a criptografia dos dados.


Desta forma o Psicólogo pode entrar definitivamente na era digital e alcançar um número muito maior de pessoas especialmente aquelas que encontram-se em situações onde o deslocamento fica complicado como nos grandes centro, viagens, processos emigratórios, asilo político, localidades com carência de profissionais, catástrofes e adaptação à cultura de outros povos e países.


Recentemente, no mês de março de 2020 por exemplo, vem ocorrendo a possibilidade real de uma quarentena forçada devido à presença e circulação do Coronavírus que é altamente contagioso. O que fazer com os atendimentos em curso ou com as novas demandas de terapia que irão surgir justamente por conta desta crise?


Os terapeutas são profissionais que estão presentes exatamente em momentos de catástrofes, perdas, angústias e dificuldades portanto, não haveria motivos justo agora para que o nosso trabalho fosse interrompido. Por isso, se você é paciente ou terapeuta, informa-se e saiba que este é um direito assegurando pelo Conselho de Psicologia.


No caso específico da COVID-19, nome da doença causada pelo Coronavírus em circulação, os grupos de risco são principalmente pacientes com imunidade baixa, idosos e pessoas com doenças crônicas como o diabetes e hipertensão. Porém as pessoas que residem com estes pacientes, podem ser vetores e hospedeiros do vírus, agravando ainda mais a transmissão, mas um motivo para que sejam todos atendidos online engrossando o caldo da demanda por este serviço!


Entretanto muitos profissionais e pacientes não sabem sobre a possibilidade e efetividade dos atendimentos via internet.


Relato de vivência prática:

Vou dividir uma experiência, enquanto eu realizei o meu mestrado em Paris nos anos 2019 e 2020 por exemplo, trabalhei de maneira remota com os meus pacientes que moram no Brasil e continuei os atendimentos com os que já moravam no exterior. Na época eu tive de aprender sobre a técnica de atendimentos online e sobre as diferenças sutis porém importante para a condução de uma sessão. Busquei uma supervisão específica para atendimentos online e confesso que foi surpreendente perceber que os pacientes respondiam bem e que as técnicas apresentavam sim uma transposição para este "suporte" eletrônico.


Crise generalizada:

Quem poderia imaginar em 2016 por exemplo que estaríamos vivendo, em 2020, uma situação onde praticamente a única opção seria a terapia online? Isso mostra o quão foram necessárias as discussões teóricas naquele época e a definição clara deste campo de atuação dos psicólogos.


Os atendimentos virtuais a priori, seriam mais direcionados à pessoas em trânsito ou que se encontram impossibilitadas para atendimentos presenciais. Porém cada caso pode ser avaliado tanto pelos profissionais quanto pelo paciente sobre o desejo e a necessidade de utilizarem a mediação da tecnologia.


Neste possível cenário de quarentena, todos os atendimentos migrariam automaticamente para a modalidade online e, por isso, vale trazer algumas informação corretas sobre o emprego das novas tecnologias na clínica.


Veja a seguir uma breve atualização sobre este tema amplo e promissor.


As indicações para o atendimentos online pode ser as seguintes, dentre várias:

  • Depressão ou Melancolia;

  • Conflitos afetivos ou familiares;

  • Dificuldades profissionais relacionadas ao comportamento;

  • Dificuldades para se adaptar à uma nova Cultura;

  • Conflitos sobre a Sexualidade;

  • Isolamento;

  • Ansiedade;

  • Fobias/Medos;

  • Traumas.


Entretanto existem situações onde o atendimento presencial é preferível exceto em situações de crise:

  • Uso abusivo de drogas;

  • Risco de suicídio;

  • Pacientes psiquiátricos muito comprometidos ou instáveis;

  • Pacientes muito agressivos.

Como Iniciar:

Para definir melhor estas demandas do paciente, é realizada uma primeira entrevista preliminar onde o psicólogo fará uma avaliação para checar a viabilidade dos atendimentos e poderá fazer o encaminhamento adequado quando necessário. No caso de atendimentos já em curso, haveria a necessidade de uma pequena adaptação por parte de ambos, porém em linhas gerais as sessões seguiriam da mesma forma.


Devemos destacar que essa resolução do CFP foi um grande avanço no reconhecimento da importância da profissão do Psicólogo, regulamentando finalmente aquilo que de uma maneira ou de outra já era realizado na prática. Fica claro com isso, que a clínica não possui fronteiras físicas tal qual os vínculos estabelecidos com o paciente.


Existem diferentes linhas teóricas que embasam e regem a prática da Psicologia, e cada Psicólogo busca seguir a que lhe permite compreender melhor a mente humana, suas manifestações e comportamentos. Porém a abordagem para os atendimentos on-line preferencialmente deveria se aproximar da Terapia Breve e Focal onde é eleito um tema principal e que esteja sempre em acordo com o Código de Ética Profissional.


A modalidade Focal de orientação on-line estrutura-se a partir de quatro aspectos essenciais:


a) a queixa trazida pelo cliente;

b) a eleição de foco para o trabalho;

c) a compreensão psicodiagnóstica e;

d) a relação vincular com o Psicólogo.


O CFP não estabelece mais número máximo de atendimentos online dentro de um tratamento, a única exigência é que o profissional de psicologia, esteja cadastrado no sistema e-psi, deixo no final deste artigo o link para cadastro e mais alguns que podem auxiliar o trabalho e o esclarecimento dos profissionais.


"Sessões":

A duração média de cada contato virtual é de 60 minutos oferecidos para maiores de 18 anos, sendo que para menores de idade deverá haver uma autorização prévia por escrito dos responsáveis legais.


As Supervisões clínicas e o acompanhamento dos casos pode seguir uma lógica parecida de encontros online com a regularidade definidas pelos profissionais. O contato com o supervisor é mantido portanto, no sentido de desenvolver o manejo junto aos pacientes na interface entre técnicas úteis e contemporâneas para os atendimentos. Sendo assim, a supervisão dos casos poderia realizar-se à distancia de forma eventual ou complementar ao processo de formação do profissional. ​


A necessidade nos impulsiona para o desenvolvimento de novas possibilidades clínicas e a perspectiva atual é que esta indicação permaneça ampliada para a modalidade contínua e sem um número limite de atendimentos, ficando a critério do psicólogo e do paciente a manutenção das sessões online. Uma boa notícia portanto!


Como funciona o trabalho:

​Os atendimentos e supervisões são feitos por meio de conexão de audio/vídeo segura com criptografia de dados "ponta-à-ponta". Evidentemente que, no mundo virtual, existe uma certa vulnerabilidade e por isso alguns cuidados devem ser tomados antes de se iniciar um atendimento online pois o ambiente da "web" pode não ser totalmente seguro. Fique atento!


As ações abaixo minimizam muito os riscos e servem para qualquer conexão virtual onde seja importante o sigilo das informações trocadas, pois este é um pilar essencial na relação entre paciente e o Psicólogo.


Precauções para conferências online:

Certifique-se que a sua conexão é de boa qualidade e que suporta o trafego de dados de video e áudio, caso contrário o atendimento pode ser prejudicado;


Marque uma entrevista antes para checar junto ao profissional que irá atendê-lo todas as particularidades deste contato bem como a sua capacitação e formação profissionais;


Agende as sessões em horários que você não seja interrompido, em um ambiente adequado, protegido e privativo;


Caso esteja em casa, avise seus familiares que durante um certo tempo você não deve ser interrompido, feche a porta ou coloque um aviso na entrada de preferência;


Se possível use fones de ouvido e microfone próximo ao corpo para evitar que as conversas sejam escutadas;


Não use computadores públicos de Lan-house, instituições de ensino ou no seu trabalho, lembre que você estará tratando de temas muito particulares e que merecem discrição;


Mantenha o perfil nestes programas protegido por senha para que outras pessoas não tenham acesso à estas informações;


Nunca deixe os programas abertos e especialmente desative as opções de “salvar senhas” no navegador e “salvar histórico de conversas” nos programas de video/audio conferência.


Em relação ao Psicólogo, este tem a obrigação de preservar e guardar sigilo sobre todos os atendimentos, conforme o Código de Ética e, desta forma, todas as precauções listadas acima, também serão tomadas pelo profissional.


​Se você ainda não havia pensado nesta possibilidade, converse com o seu Psicólogo!


Você é profissional de Psicologia e ficou interessado em trabalhar desta forma?

Busque mais informações e monte o seu site para divulgar o seu trabalho online!


É preciso que o site do profissional seja avaliado, autorizado e monitorado pelo conselho de Psicologia da sua região em períodos regulares.


Participe também da revolução tecnológica, diversifique e amplie as possibilidades de trabalho dentro da Psicologia, você e seus pacientes podem se surpreender com os resultados!


Para agendar uma entrevista sem custos ou uma Supervisão para implementação dos atendimentos online, clique Aqui para enviar um e-mail ou WhatsApp !


Para saber mais sobre o autor clique aqui!



Links importante:


Psicologia Contemporânea Online (site de orientação on-line)

www.conectapsi.com.br


Criação de Sites Gratuitos ou Pagos:

www.wix.com


Registro de Domínios:

www.registro.br


Código de Ética Profissional do Psicólogo:

http://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2012/07/codigo_etica.pdf


​Resolução CFP n°11/2018:

https://e-psi.cfp.org.br/resolucao-cfp-no-11-2018/


Cadastro e-psi:

https://e-psi.cfp.org.br


​Conselho Regional de Psicologia de São Paulo:

http://www.crpsp.org

Conselho Federal de Psicologia:

www.cfp.org.br







2016 por patrícia cividanes